terça-feira, março 20, 2018

Eleição 2018- A hora da definição das candidaturas vai chegando. - Final de março- Mais uma reflexão


O prazo final de filiação é dia 06/04 a meia noite.
Algumas candidaturas já estão postas:

  1. Bolsonaro - Patriotas
  2. Boulos - Psol
  3. Alvaro Dias - Podemos
  4. Manoela Davila - PC do B
  5. Alckmim - PSDB
  6. Ciro Gomes - PDT
  7. Rodrigo Maia - DEM
Algumas reflexões baseadas em informações e minhas ilações:
  1. PMDB não deve lançar, se sair pode ser com Meirelles, mas acho improvável. Temer quer participar, mas não será candidato, apesar de ter até julho para decidir quando será a convenção dos partidos.
  2. Rodrigo Maia não deve largar a sua eleição garantida de deputado e futuro presidente da CD por uma eleição difícil e incerta de presidente. Hoje ser presidente da CD é muito melhor de=o que presidente que depende do congresso. A CF de 88 criou este parlamentarismo tupiniquim, mais uma aberração.
  3. PT deve ter candidato, não deve ser Lula, mas ele vai esticar a corda até onde conseguir. Ouvi uma tese, que não é tão irreal, que Lula sendo retirado a "forceps" pela justiça, pode criar comoção e conseguir eleger seu candidato. Esta história me foi contada lembrando o caso de Minas Gerias na eleição de 1965. Tião Medonho candidato do PSD, de JK, favorito absoluto, foi cassado há 20 dias da eleição a pedido de Magalhães Pinto que era o governador da UDN e disputava com o médio Roberto Resende. Segundo meu amigo, a comoção da cassação de Tião Medonho fez Israel Pinheiro que o substituiu ar com 70% dos votos. Ouvi a história atentamente, mas os tempos são outros, Lula e o PT, e quem for o candidato tem rejeição alta, mas em política tudo é possível como dizem aqui em MG.
  4. Falando em rejeição, vi uma pesquisa qualitativa e aqui é a bomba que deixarei registrado.
  5. Anotem ai: O PSB deve fechar com Joaquim Barbosa. Ele tem rejeição pequena e grande potencial votos no cruzamento rejeição x grau de conhecimento do eleitor. Se ele for mesmo pode ser player forte, nome até aqui apagado na mídia pode entrar forte.
  6. A rejeição de Alckmin é altíssima, 70%, Bolsonaro 50%, Lula 40%. Isso mesmo, por esta pesquisa Lula tem 40% de rejeição somente. Já vi pesquisa que ele tem 60%.
  7. Alvaro Dias parece não decolar, mas ainda o jogo não começou, precisamos observar estes dois nomes. Alvaro Dias e Joaquim  Barbosa, se ele for mesmo candidato.
  8.  Aqui em MG, Rodrigo Pacheco segue firme. Ele construiu bem uma força e mesmo com Anastasia se lançando, não acredito que desista, vamos ver.
  9. Aqui em MG, teremos Anastasia (que ainda pode desistir e virar vice de Alckmin)  Márcio Lacerda (que tem problemas no próprio partido e não se assustem se ele perder a legenda). Se mudar de partido estará morto.  Rodrigo Pacheco, jovem com proposta de renovação é no meu entendimento o mais forte hoje. O DEM estará fortalecido e ele constrói uma aliança que lhe dará tempo e logística. A conferir estas previsões.
A bomba de hoje é de fato o PSB quase confirmando Joaquim Barbosa que tem grande potencial de votos. O maior de todos.
Claro que ainda é cedo, mas as pesquisas qualitativas começam a mostrar algumas coisas interessantes.
Como já escrevi e falo. Presidência é destino. Quem quiser ler este artigo dos últimos presidentes desde os anos 30, pode tirar suas conclusões. Clique e leia - 

Presidência da república é destino? Um pouco da história, dos anos 30 para cá. Tirem suas conclusões.

Estudei e pesquisei muito a história política e econômica do Brasil, vivi uma parte dela dos anos 80 até aqui. Escrevi um livro e escrevo outro e farei algumas considerações sobre a política no que tange aos presidentes da república de um tempo para cá. Não é um tratado de história, é um artigo resumido para convite a reflexão do leitor e algumas observações importantes.

Leia mais em: https://www.webartigos.com/artigos/os-presidentes-do-brasil-desde-1930/152173#ixzz5ALWfWKrb


sexta-feira, março 09, 2018

As eleições se aproximam, qual o retrato hoje? Março 2018


Estamos quase lá, apesar de não estarmos oficialmente em campanha, já começou a articulação.

Esta pesquisa da CNT/MDA mostra já algumas coisas importantes. Clique e veja

Em uma corrida presidencial sem Luiz Inácio Lula da Silva (PT), 4 candidatos disputariam uma vaga no 2º turno contra o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL). O ex-capitão do Exército pontua de 20% a 20,9% a depender da combinação de cenários. O 2º lugar fica embolado entre Marina Silva (Rede), Ciro Gomes (PDT) e Geraldo Alckmin (PSDB).

Ela não fala de rejeição, mas por outras pesquisas, podemos inferir, a rejeição de todos é alta, e semelhantes, portanto vamos deixar para considerar isso adiante.

7 meses até lá, mas algumas coisas parecem claras, vamos deixar registrado, com a ressalva de que não existe futurologia na política e tudo pode mudar, mas "ceteris paribus":

  1. Lula não será candidato
  2. PT deve lançar candidato, provavelmente Fernando Haddad
  3. Bolsonaro se consolida para ir ao segundo turno
  4. As projeções, por esta pesquisa, do segundo turno mostra imprevisibilidade total, estão todos embolados e o detalhe da campanha pode definir.
  5. Acredito que o PT não vá ao segundo turno e deve apoiar Ciro ou Marina, mais para Ciro.
  6. Considerando isso, eu arriscaria dizer que o segundo turno será entre Ciro Gomes e Bolsonaro.
  7. Alvaro Dias ainda não pontua bem, seu tempo de começar a subir está se esgotando. Ele tem potencial por ser desconhecido para a maioria e ter rejeição baixa. Acho que no caso dele, o final de março (até 06 de abril) com a data do fechamento das filiações, podemos enxergar o quadro do partido dele, o Podemos e ai ver se as chances dele melhoram ou pioram.
  8. Esta eleição será atípica, mas a renovação será baixa. Insisto nisso e confirmo cada vez mais minha convicção nisso. A população espera muito, mas terá uma grande decepção. O dinheiro de fora não virá, ilegal e as empresas não farão (a não ser poucas), o dinheiro virá dos partidos, do fundo partidário e vai privilegiar quem está já lá. Não vão salgar carne nova.
  9. Chuto a renovação do congresso, CD  entre 30% e 40%, historicamente é isso.
  10. No SF pode ter mais renovação, deve ter, mas sem a definição dos candidatos fica difícil tentar mensurar isso,
  11. As redes sociais servirão mais para desconstruir e atacar do que para alavancar as candidaturas, será importante, mas não determinante.
  12. Os quadros estaduais podem e devem ser influenciados pelo quadro nacional. Os candidatos a governador terão que optar por um candidato. A influencia não será do estadual para o nacional, mas o contrário.
Vamos deixar registrado. Já tenho a minha linha, mas ainda não revelarei, em breve vou divulgar meus candidatos e meu partido. Sim, vou me filiar a um partido. 
Vai disputar a eleição? me perguntam. Ainda não decidi, mas existe esta possibilidade, dependendo de algumas articulações que estamos fazendo.

quarta-feira, fevereiro 28, 2018

A eleição de 2018, algumas considerações- Vamos deixar registrado.





Na verdade ainda é cedo para afirmar qualquer coisa, mas o quadro começa a ficar mais claro.
Até 07 de abril é preciso fechar as filiações partidárias e as incompatibilizações.
Por exemplo, especulam que o governador Pimentel será candidato ao SF, ele precisa renunciar, assim como os prefeitos Kalil e Medioli. Os candidatos que precisam mudar de partido precisam estar devidamente filiados aos novos partidos. Fica mais claro em abril.
Vamos lá, vou fazer algumas considerações, não é chute, é um pouco de informação e tem meu "felling" também:

  1. Pimentel será candidato ao governo, Kalil e Medioli não serão candidatos a nada. Se Pimentel nem ser candidato a nada pode acontecer, mais abaixo saberão porque, mas acho improvável que não seja. Ao SF duvido muito.
  2. Alguns deputados federais que têm processo no STF podem ser candidatos a deputado estadual ou mesmo nem ser candidato. Mais adiante direi a razão.
  3. Bolsonaro se consolida e deve estar no segundo turno, a questão é quem será o adversário dele. Ele tem rejeição alta, mas todos outros têm também. Bolsonaro capitaliza a indignação da população com a classe política e tem o discurso da segurança e endurecimento das leis, a pauta número um dos brasileiros que não aguentam mais a violência e nem a impunidade.
  4. Despreparado? Depois de Lula e Dilma chamar Bolsonaro de despreparado é piada. Isso não estará em julgamento na eleição, aliás nunca esteve.
  5. Ciro Gomes deve ser o nome que herdará, ou tentará, os votos de Lula. Deve ter um petista de vice, provavelmente Haddad, ex prefeito de SP. 
  6. O desgaste do PT, PMDB e PSDB será sentido nas urnas e nas campanhas, todos os escândalos voltarão forte nas redes sociais e nas inserções da TV.
  7. Geraldo Alckmim deve ser candidato, é sério e preparado, mas não sei se consegue suportar ou ultrapassar o desgaste do seu partido, PSDB.
  8. Alvaro Dias é outro nome com potencial, tem baixa rejeição e pouco conhecimento por parte do eleitorado. A questão dele é partido, logística e tempo de TV. Será que o podemos consegue atender? Estamos  a 7 meses da eleição, apesar de ainda não começar pra valer a campanha, os candidatos precisam mostrar viabilidade e densidade eleitoral. No Sul ele tem, é preparado e experiente.
  9. Em Minas Gerais tudo indica que a disputa se dará entre, Marcio Lacerda, Rodrigo Pacheco e Pimentel. Pimentel no segundo turno com grande chances, mas podemos ter surpresas dependendo do desgaste do PT. Considerando a força do PL (Palácio da Liberdade) nas eleições, tudo indica que estará nos segundo turno. A questão será quem disputa contra ele. Rodrigo Pacheco ou Márcio Lacerda. Aposto em Rodrigo Pacheco, jovem preparado, sem desgaste e com um discurso moderno. Ele constrói uma grande aliança em MG. Márcio Lacerda é experiente, preparado, mas este partido dele PSB, tem rachas, tem ambiguidade no discurso de esquerda e sua ligação com Ciro Gomes/PT pode e deve atrapalhar.
  10. Haverá uma renovação do congresso muito baixa. O dinheiro do fundo partidário estará com os deputados e senadores atuais que disputam a reeleição. Não há dinheiro privado, muito pouco, e o que mandará será o dinheiro público do fundo partidário, aliás muito dinheiro. Será que os atuais mandatários arão dinheiro para os entrantes? Óbvio que não.
  11. Normalmente a renovação se dá em torno de 30%. Este ano será em torno disso, podendo até ser menor. A população que espera uma grande renovação terá uma grande decepção.
  12. As redes sociais serão ferramentas importantes, mas não determinantes. Nas grandes cidades terão mais relevância, mas no interior não. Ainda a política dos lideres políticos do interior será a principal ferramenta. As redes sociais servirão mais para atacar adversários do que para construir candidaturas. Haverá muita fake news e o nível deverá ser muito baixo Infelizmente.
Agora vamos lá deixar registrado aqui: Os políticos que tem problema e são réus ou estão na fila do STF, STJ não necessariamente buscarão o foro privilegiado. Existem duas razões para isso. A primeira é que o foro deve cair, via STF e a própria CD. E demanda da sociedade forte.
A segunda é questão jurídica. A perda do foro faz os processo voltarem a primeira instância. Neste fórum os réus terão mais tempo e mais recursos.  Já houve casos de renúncia de mandatos para conseguir resultados jurídicos seguindo esta lógica. Não se surpreendam se alguns candidatos simplesmente nem concorrerem para se livrar da justiça. Estas são as regras e alguns podem usa-las.

A conferir algumas considerações.


O calendário oficial para quem tiver curiosidades mais.


7/4 – Último dia para governadores, presidente da República e prefeito deixarem o mandato, caso queiram disputar a eleição para outro cargo.

7/4 – Quem pretende concorrer aos cargos eletivos no pleito de outubro deve se filiar a um partido político até esse dia, ou seja, seis meses antes da data das eleições.

10/4 – A partir desse dia fica vedado aumento salarial para servidores públicos. O aumento é proibido até a posse dos eleitos, a não ser que seja um reajuste para recompor perda de poder aquisitivo no ano.

9/5 – Prazo final para o eleitor regularizar o título e fazer atualizações no cadastro.

18/6 – Justiça Eleitoral vai divulgar o valor do Fundo Especial de Financiamento de Campanha. O fundo é uma novidade instituída pela minirreforma eleitoral.

20/7 a 5/8 – período para convenções partidárias escolherem as coligações e candidatos.

15/8 – Último dia para os partidos registrarem no TSE os candidatos.

16/8 – Início da propaganda eleitoral.

7/10 – 1º turno das eleições.

12/10 – Início da propaganda eleitoral do 2º turno.

28/10 – 2º turno das eleições

Fonte: TSE/Portal Uai